quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fazes-me falta...

Que falta é esta que me fazes e que chega a doer na carne como se fosse uma ferida real?
Que falta é esta que me faz ver o teu rosto em todos os rostos que por mim passam, sentir o teu cheiro em todos os perfumes do mundo, ouvir a tua voz mesmo quando apenas o silêncio me rodeia?
Que falta é esta que me faz pensar em ti mesmo quando tento não pensar em nada?
Que falta é esta que me sufoca a alma, me aperta o peito, me rouba o ar e o sossego?
Que falta é esta que me faz esquecer de quem eu sou apenas para me lembrar de quem tu és?
Que falta é esta que faz o meu corpo desejar o teu abraço como se de um cobertor contra o frio se tratasse?
Que falta é esta que transforma todos os outros em nada só porque eles não são e nunca serão como tu?

Como é possível que estando tão ausente estejas tão presente em mim?
Como é possível que todos os cheiros sejam o teu, todas as vozes sejam a tua mas que nenhum toque, nenhum olhar, nenhum sorriso se compare ao teu?

Fazes-me falta, fazes-me mesmo muita falta...


1 comentário:

  1. Até pela profunda intensidade do texto, que vale por si só, estive para não comentar. Mas finalmente não resisto a ao menos dizer:

    _ Meu Deus! Pura e dura Paixão em palavras, que só por certo vêm da Alma e como tal merecem correspondência _ assim seja e assim lhe desejo cara Armanda

    ResponderEliminar