quinta-feira, 1 de maio de 2014

O caso da Flávia...

Ontem enquanto ia apagando alguns post's do blog antigo, encontrei um que mexeu comigo e que não fui capaz de apagar antes de voltar a falar sobre ele aqui, o motivo é simples, não podia deixar que ele caisse no esquecimento, não podia ser mais uma das que remeteram a Flávia ao esquecimento.

Em 2008 enquanto andava a passar de blog em blog fui parar ao blog "Flávia, vivendo em coma..." e foi um choque, fiquei ali horas perdidas a ler todas as postagens, a conhecer a história e tenho-vos a dizer que chorei, me irritei, sorri mas acima de tudo fiquei de "boca aberta" (literalmente) pela falta de humanidade de algumas pessoas.

Resumindo muito a história:
A Flávia era uma criança de 10 anos que nadava na piscina do seu condomínio (em 1998) quando o cabelo dela ficou preso no ralo de sucção e ela ficou vários minutos dentro de água, até o irmão a ter conseguido tirar de dentro de água. Como se sabe o nosso cérebro funciona basicamente a oxigénio e quando não o recebe as células morrem e isso origina danos cerebrais profundos, foi isso que aconteceu com a Flávia; o tempo que ela esteve debaixo de água fez com que o seu cérebro não recebesse oxigénio e ela ficasse em coma vigil até hoje. Ou seja, são 16 anos assim.

 Antes de eu entrar no blog eu nem sabia que existia coma vigil, portanto eu vou partir do principio que muita gente também não sabe e explicar em palavras de leiga mesmo.
Há duas opiniões diferentes sobre o coma vigil (pelo menos no que eu pesquisei), há a tese de que o paciente abre e fecha os olhos apenas porque isso é uma reacção automática do nosso cérebro, é automático dormir e acordar mas que o paciente não sente nada e não se apercebe de nada, como ter os olhos abertos e não ver ou falarem connosco e não ouvirmos.
Depois há a tese de que eles apenas não conseguem comunicar connosco, eles ouvem, eles sabem que estamos ali, o cérebro deles reage mas eles perderam a capacidade de interagir connosco, porque o cérebro foi danificado e não consegue fazer com que o corpo reaja aos estímulos.
Imaginem aqueles vidros que só dá para ver de um lado, nós conseguimos ver para fora mas quem vê de fora pensa que está a olhar para um espelho, é mais ou menos assim, eles vêm-nos mas não conseguem fazer com que nós percebamos isso. Obviamente não sei qual das duas teses é a mais correcta, o que sei é que em coma vigil a pessoa abre os olhos e fecha os olhos mas não mais que isso, (eu prefiro acreditar na teoria do "espelho", não gosto de pensar que somos "apenas" respostas automáticas do nosso cérebro.)

Como se não bastasse a dor de uma mãe que vê a sua filha perder tudo o que deveria viver, o caso torna-se ainda mais revoltante porque foi pura negligencia. O condomínio mudou o ralo sem autorização, a empresa que fabricou o ralo não tinha o aviso de perigo no manual de acompanhamento do produto.
Depois a seguradora do condomínio não queria pagar o seguro.
Enfim, uma série de acontecimentos onde em todos é possível verificar a falta de humanidade que algumas pessoas possuem.
A Flávia está em casa com a mãe, mas precisa sempre que alguém esteja com ela, precisa de fisioterapia, precisa de ser alimentada, lavada. Tudo o que nós fazemos todos os dias, tudo o que nós vivemos todos os dias, a Flávia não vive porque uma piscina roubou-lhe isso. Para conhecerem tudo ao pormenor e de forma correcta por favor entrem no blog da mãe dela.

E aviso já que entrar no blog da Odele é levar um murro no estomâgo, não apenas porque a história da Flávia é dolorosa mas porque continuam a morrer crianças em piscinas, continuam a não existir leis que protejam os utilizadores das piscinas do perigo de ser sugado.

Por fim fica a lembrança de que estes casos não acontecem só no Brasil, já aconteceu mais do que uma vez em Portugal, nos Estados Unidos e em muitos outros sitios e mesmo assim, ninguém faz nada.
Continuam a perder-se vidas para preservar apenas e só os interesses dos "poderosos".

Passaram 16 anos e a Flávia continua em coma, passaram 16 anos e ainda há crianças a morrer.. Este mundo está todo errado :(


Sem comentários:

Enviar um comentário